Loading...

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

PERSPECTIVAS PROFISSIONAIS E ATUAÇÃO DO GRADUADO EM HISTÓRIA


O historiador estuda o passado humano em seus vários aspectos: economia, sociedade, cultura, ideias e cotidiano. Ele investiga e interpreta criticamente os acontecimentos, buscando resgatar a memória da humanidade e ampliar a compreensão da condição humana. Seu trabalho se baseia, principalmente, na pesquisa de documentos, como manuscritos, impressos, gravações, filmes, objetos, jornais e fotos. Depois de selecionar, classificar e relacionar as informações levantadas em bibliotecas, arquivos, entrevistas ou estudos arqueológicos, o bacharel faz a datação do fato ou do objeto, confere sua autenticidade e analisa sua importância e seu significado para a compreensão do encadeamento dos acontecimentos históricos. Com licenciatura, o graduado está apto a dar aulas em escolas de Ensino Fundamental e Médio.
Resultado de imagem para campo de atuação do profissional de história

Fique de Olho

AMÉRICA LATINA É FOCO DE CURSOS
A Universidade Federal da Integração Latino-Americana (Unila), em Foz do Iguaçu (PR), oferece cursos centrados nas questões da América Latina, caso de História e Ciências Sociais. Estudantes brasileiros e de outros países da região estudam as particularidades do espaço geográfico e social das diferentes sociedades latino-americanas.

O que você pode fazer

Autoria e consultoria Produzir e avaliar material didático para editoras ou instituições de ensino. Assessorar a produção de novelas, vídeos e filmes de um determinado período histórico.
Ensino Lecionar história geral ou do Brasil para os ensinos Fundamental, Médio ou cursos pré-vestibulares. Com pós-graduação, dar aulas na educação superior.
Memória empresarial Pesquisar a história de empresas e instituições em geral para apresentá-la em livros, artigos ou reportagens.
Pesquisa Investigar temas específicos em arquivos, institutos de pesquisa e universidades para produzir teses, livros e artigos.
Documentação e preservação Selecionar, identificar e organizar documentos históricos para o acervo de museus – públicos e privados – e de centros de documentação. Identificar obras que farão parte de uma exposição permanente ou temporária. Atuar em órgãos de preservação do patrimônio arquitetônico e histórico.

Mercado de Trabalho

As perspectivas para este bacharel são positivas. Isso porque o Congresso Nacional está perto de aprovar a regulamentação da profissão de historiador. O diploma de História será exigido para concursos públicos em museus e arquivos históricos. Será criado também um mercado mais bem definido para pesquisa no âmbito de ONGs e empresas. O licenciado encontra vagas em escolas de todo o país, especialmente na rede pública do Norte, do Nordeste e do Centro-Oeste. Em ONGs que cuidam do resgate da memória de personagens ou eventos, instituições públicas de preservação do patrimônio, arquivos e museus, o profissional também é contratado para prestar consultoria, trabalhar na organização de acervos, em pesquisa documental e na preservação do patrimônio cultural. Um mercado em crescimento é o de produções cinematográficas de época e de roteiros para documentários. Essa demanda vem crescendo em razão da lei que obriga as emissoras de TV por assinatura a exibir conteúdo nacional em sua programação. Há boas perspectivas também em cidades históricas. Tem aumentado ainda a busca por historiadores que organizem arquivos pessoais ou empresariais, reconstruam a história de famílias e empresas, e prestem consultoria em campanhas eleitorais.

Curso

A maior parte dos cursos de História é de licenciatura e inclui disciplinas pedagógicas, ao lado das específicas. Estas abordam a história tanto por períodos (pré-história, história antiga, medieval ou contemporânea) quanto por regiões, como Brasil, Europa ou Ásia. Há também temas específicos da pesquisa em história, como metodologia, teoria da história, história demográfica, história política ou história da ciência. Muita dedicação à leitura e participação em palestras e seminários fazem parte do cotidiano do graduando. Estágio e trabalho de conclusão de curso são obrigatórios. Atenção: a UFPR oferece um curso focado em memória e imagem; a Unila (PR), em América Latina; e a Universidade Candido Mendes (RJ) e a UFCA (CE), em patrimônio histórico.
Duração média: 4 anos.
Outro nome: Est. Soc. (hist.).

Legenda:
Estrelas da Avaliação do Guia do Estudante
★★★★★ - Excelente
★★★★ – Muito bom
★★★ - Bom
CPC – Conceito Preliminar de Curso ① ② ③ ④ ⑤ 
O CPC é o indicador do Ministério da Educação que mede a qualidade dos cursos. Ele varia de 1 (menor valor) a 5 (maior valor). Ele está informado na ficha do curso para todas as graduações que tinham esse indicador disponível (fonte: site do Inep, anos 2014, 2013 e 2012). 
Cifrões – Referem-se às faixas de preço da mensalidade:
$ - Até 500,00 reais
$$ - De 500,01 a 750,00 reais
$$$ - De 750,01 reais a 1.000,00 reais
$$$$ - De 1.000,01 a 1.500,00 reais
$$$$$ - Acima de 1.500,01 reais
n/i - Valor não informado

Você pensa que o curso de História é só para quem quer ser professor? Apesar dessa crença ser muito comum, ela não está correta. Quem faz o curso de História tem muitas opções de carreira para seguir.
História é o campo do conhecimento que estuda o passado humano em seus vários aspectos: economia, sociedade, cultura, ideias e cotidiano. O historiador investiga e interpreta criticamente os acontecimentos, buscando resgatara memória da humanidade e ampliar a compreensão da condição humana.
Confira o que o formando em História pode fazer:
– Autoria e consultoria: produzir e avaliar material didático para o ensino presencial e à distância para editoras ou instituições de ensino
– Consultoria: atuar nas áreas de produção de vídeo e peças de teatro e de turismo histórico;
– Ensino: lecionar história geral ou do Brasil para os ensinos fundamental, médio ou cursos pré-vestibulares. Com graduação, dar aulas na educação superior;
– Memória empresarial: pesquisar a história das empresas e instituições e apresenta-la em livros, artigos ou reportagens
– Pesquisa: investigar temas específicos em arquivos, institutos de pesquisa e universidades para produzir teses, livros e artigo
RIO - Você, provavelmente, já o viu em algum telejornal comentando assuntos que vão desde a história do Brasil à política externa. Professor titular de história moderna e contemporânea da UFRJ, com doutorado em história social pela Universidade de Berlim/UFF e pós-doutorado pela Universidade Técnica de Berlim/USP, Francisco Carlos Teixeira é uma das principais referências no meio e garante que os formados no curso têm áreas de atuação que vão muito além da sala de aula. No entanto, não hesita em afirmar que não conhece melhor profissão que a de professor, apesar das disparidades entre os ensinos básico e superior. Vote aqui na profissão do próximo Voz da Experiência
- Não há alunos na pós-graduação sem bolsa, cujo valor é quase o dobro do salário de um professor do ensino básico do estado. O problema é a má gestão da educação, como ficou visível no episódio da fraude do Enem - aponta o professor.
Em entrevista à Megazine, Teixeira respondeu a algumas das mais de 50 perguntas enviadas pelos leitores ao site do GLOBO. Como é a graduação em História? (Fabio Lopes)
FRANCISCO CARLOS TEIXEIRA: Na maioria das universidades, como UFRJ e UFF, que têm os dois melhores departamentos de História do Rio, há duas formações: o bacharelado, que é um curso específico em História e nas ciências afins, com disciplinas de sociologia, política, antropologia e economia; e a licenciatura, que é um curso de formação profissional, cujo conteúdo fundamental é formado por disciplinas ligadas a ensino e didática. O bacharel está habilitado para um mercado mais diversificado e para o ensino superior. A licenciatura habilita para o ensino básico.Além de dar aulas, em quais áreas o profissional de história pode atuar? (Leandro Santos)
TEIXEIRA: Temos pesquisadores, técnicos, consultores em cinema, TV, óperas, teatro e até em barracões de escola de samba. O mercado é muito segmentado entre a pesquisa, o ensino e a consultoria. Há várias áreas em que os historiadores desempenham papéis importantes: museus, bibliotecas, arquivos, revistas científicas e especializadas e até em empresas de propaganda e marketing.Quais as linhas de pesquisa em expansão? (Marina Brandão)
TEIXEIRA: Estão entre a história social e a da cultura, que não têm uma fronteira muito definida. Há grande concentração de programas sobre a história do Brasil, predominando o período republicano, que tem uma grande participação na maioria dos livros, trabalhos e teses, com temas como sindicalismo, movimento operário e partidos políticos. Há uma demanda da sociedade para que haja pessoas trabalhando com história da América Latina e da América do Sul. Hoje o Brasil tem projeção nesse cenário, e há um déficit grande no estudo da relação do país com os vizinhos. Que órgãos públicos costumam realizar concursos direcionados a historiadores? (Jasmine da Silva)?
TEIXEIRA: Vários órgãos fazem concurso para pesquisador: Arquivo Nacional, Biblioteca Nacional, arquivos estaduais, bibliotecas municipais e Exército. Nestes, eles são contratados como técnicos, já que não existe uma carreira de historiador regulamentada. Aplica-se ao historiador o mesmo patamar de profissionais de biblioteconomia, arquivologia ou informática.
Como está o mercado de trabalho? (Cláudio Silva)
TEIXEIRA: Não falta emprego. Existem concursos nas universidades públicas de todo o país para professores. Como temos uma rede escolar deficitária, nos municípios sempre há a incorporação de novos professores. Mas temos um problema de remuneração, pois o projeto $pelo governo federal estabelecendo piso mínimo para os professores no município e no estado não foi aprovado. Isso obriga o professor a ter mais de uma vinculação profissional. Estabelecer o piso mínimo e fazer com que ele seja o professor de uma única escola são desafios fundamentais. Em empresas, o trabalho é marcado pelo livre mercado, pela prestação de serviço e por consultoria e é muito bem remunerado. Há mercado fora do país? (Luiza Cavalcanti)?
TEIXEIRA: A partir de um momento da carreira, começamos a viajar muito, temos chance de fazer cursos no exterior. É comum sermos chamados para dar aulas em universidades estrangeiras como visitantes. Mas o sistema de ensino e trabalho é muito diferente. As pessoas têm de ter cuidado, pois, quando saem do país, perdem os vínculos e as garantias daqui.
Saiba masi sobre o curso
CURSO: Tanto bacharelado quanto licenciatura levam quatro anos. O estágio supervisionado é obrigatório na licenciatura.
MERCADO: Em expansão para quem segue a licenciatura, nos ensinos básico e superior. Res$para os bacharéis, sobretudo os que não têm pós-graduação.
REMUNERAÇÃO: Professor da rede pública ganha de R$ 800 a R$ 1.500. Pesquisador iniciante ganha até R$ 2 mil. Professor com doutorado, até R$ 5 mil.

1. SOBRE O CURSO

Historiador


Utilizando documentos e dados, o historiador dedica-se à compreensão do contexto, à interpretação e análise do passado de indivíduos, grupos, movimentos sociais, instituições, regiões, países em diversas áreas – cultura, arte, economia, política, entre outras. Atua no desenvolvimento de pesquisa, na produção e difusão do conhecimento histórico, tomando como referência as várias dimensões dos sujeitos ao longo da história e os parâmetros de cada época, sob as diferentes concepções teóricas e metodológicas.

Principais áreas de atuação    


- Memória empresarial
- Assessoria histórica
- Preservação do patrimônio histórico
- Levantamento de dados e produção de textos em editoras
- Consultoria para produções artísticas e culturais

TOPO

2. ENSINO

Número de faculdades62
Melhores cursosUniversidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, Universidade Cruzeiro do Sul (SP), Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro
Vagas disponíveis por ano3.139
Duração do curso4 anos
Candidatos13.571
Candidatos/vaga4,32
Formandos por ano1.075
TOPO

3. ESTÁGIO

Estágio obrigatório?    


Só para os estudantes de licenciatura, que vão dar aulas na Educação Básica.

Quem recruta estagiários  

 
- Escolas.
- Museus.
- Centros de documentação de empresas.
- Arquivos históricos.
- Institutos de pesquisa

Melhor época do ano para procurar estágio    


Para as escolas, no início do ano letivo. Para outras instituições, o ano todo.

Momento ideal para iniciar estágio    


- A partir do terceiro ano, no caso do bacharelado.
- Na licenciatura, no último ano de curso.

Atividades do estágio


Em escolas:
- Acompanhamento das aulas de um professor titular.
- Auxílio em  tarefas como produção de exercícios, planejamento de aulas, avaliações.
- Sugestão de materiais didáticos.
- Se escola autorizar, participação em reuniões, conselhos de classe.

Em museus e centros de memória:


- Catalogação e arquivo de documentos e peças de acervo.
- Inventário de patrimônio e acervo.
- Trabalhos de pesquisa.TOPO

4. MERCADO

Profissionais no mercado    


Não há dados disponíveis.

Exigências para atuar na profissão    


- Ter curso superior de licenciatura em História para atuação na Educação Básica.
- Ter diploma de bacharelado em História para atuação como historiador.

Regulamentação 

   
Não há

Ganho inicial (média mensal)    


- De R$ 980 (20 horas semanais) a R$ 1,8 mil (40 horas semanais) na rede pública de ensino.
- Em escolas particulares, no Ensino Médio, de R$ 1 mil a  R$ 3,6 mil.
- Professor doutor em universidade pública federal: R$ 6 mil.

Ganho escalão intermediário (média mensal)    


- Em universidades públicas: de R$ 8 mil a R$ 9 mil.


Ganho no auge (média mensal)    


Em universidades públicas, como professor titular:  R$ 15 mil.


Atividades do início de carreira


- Na área de ensino, aulas na Educação Básica ou no Ensino Superior.
- Em outras instituições, basicamente as mesmas do período de estágio.


Evolução da profissão    


- No ensino, o historiador pode seguir dois caminhos: a Educação Básica e a Educação Superior. Na Educação Básica pública, segue a carreira da rede ou sistema de ensino onde está inserido. Na rede privada, pode assumir cargos de coordenação na área. Na Educação Superior pública, progride conforme obtém as titulações de mestrado e doutorado e evolui como pesquisador, até chegar a professor titular.
- Em outras instituições, com a experiência, passa a liderar equipes e pode assumir cargos de gerência e direção.

Auge da carreira    


Entre 20 e 25 anos.

Dicas     


- Como as instituições governamentais oferecem muitas vagas para historiadores, nas áreas de preservação de patrimônio e memória, é importante acompanhar os editais de concursos públicos.
- Está em trâmite no Congresso Nacional um projeto para a regulamentação da profissão de historiador. Com isso, serão ampliadas as oportunidades para o profissional, em especial no setor público.

TOPO
Fontes: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep)/Ministério da Educação (MEC), dados de 2010; Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade), dados de 2009;

Associação Nacional de História

Especialistas entrevistados para compor o perfil da profissão:

Lucília Siqueira, professora do departamento de História da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Perfil e Perspectivas profissionais para o graduado em Filosofia

Perfil do Profissional

Os cursos de bacharelado e licenciatura em Filosofia da UFES propõem as mesmas competências e habilidades indicadas nas Diretrizes Curriculares aos Cursos de Graduação em Filosofia, proposta pela Comissão de Especialistas de Ensino da Filosofia supracitada e publicada no Parecer CNE/CES 492/2001:
- capacitação para um modo especificamente filosófico de formular e propor soluções a problemas, nos diversos campos do conhecimento;
- capacidade de desenvolver uma consciência crítica sobre conhecimento, razão e realidade sóciohistórico- política;
- capacidade para análise, interpretação e comentários de textos teóricos, segundo os mais rigorosos procedimentos de técnica hermenêutica;
- compreensão da importância das questões acerca do sentido e da significação da própria existência e das produções culturais;
- percepção da integração necessária entre a filosofia e a produção científica, artística, bem como com o agir pessoal e político;
- capacidade de relacionar o exercício da crítica filosófica com a promoção integral da cidadania e com respeito à pessoa, dentro da tradição de defesa dos direitos humanos.

filósofo é o pensador que se debruça sobre questões da ética (o bem e o mal), estética (o “belo”), epistemologia (formas e natureza da produção de conhecimento) e da política. A partir da especulação e da argumentação, o filósofo busca destrinchar a natureza e as condições das ideologias, dos valores humanos, da “verdade”, das ciências, das relações humanas.
Disparadamente a maior área de atuação é o ensino de filosofia, tanto no ensino médio como no ensino superior. Para ser professor de ensino médio é necessária a licenciatura. Para lecionar em faculdades o graduado deve realizar estudos de pós-graduação (mestrado e doutorado). A rede privada de ensino em geral remunera melhor o professor que a rede pública. Na pública o salário base gira em torno de R$ 950,00 por 24 horas semanais. No ensino superior a remuneração é maior.
Outras possibilidades são trabalhar com crítica de arte / literatura, produzir e editar textos reflexivos sobre temas pertinentes à área e eventualmente em empresas e instituições que desejem refletir sobre aspectos éticos. Porém essas são oportunidades muito diminutas.
Uma opção para ampliar as possibilidades de remuneração é buscar a graduação paralela em outras áreas correlatas, em função de seu interesse. 

1. SOBRE O CURSO

Filósofo


Este profissional se dedica ao estudo e à pesquisa da essência e da natureza da humanidade, do universo e suas inter-relações. Dedica-se à compreensão de questões como espaço, tempo, verdade, consciência e existência. Sua atividade pode se aplicar à compreensão de questões e problemáticas contemporâneas, em vários campos do conhecimento, relacionando o exercício da crítica filosófica com a promoção integral da cidadania.

Principais áreas de atuação  

 
- Consultoria na área de gestão de pessoas em empresas e organizações do terceiro setor
- Crítica de produções artísticas e culturais
- Ensino  e pesquisa acadêmica

TOPO

2. ENSINO

Número de faculdades62
Melhores cursosFaculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia (Belo Horizonte – MG), Universidade do Vale do Rio dos Sinos (São Leopoldo – RS), Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janei
Vagas disponíveis por ano3.043
Duração do curso4 anos
Candidatos6.396
Candidatos/vaga2,10
Formandos por ano987
TOPO

3. ESTÁGIO

Estágio obrigatório?    


Só para os estudantes de licenciatura, que vão dar aulas na Educação Básica.

Quem recruta estagiários    


- Escolas.
- Institutos de pesquisa.
- Universidades.

Melhor época do ano para procurar estágio  

 
Começo do ano.


Momento ideal para iniciar estágio    


A partir do terceiro ano.

Atividades do estágio


- Observação das aulas de um professor titular.
- Auxílio nas tarefas, como produção de exercícios, planejamento de aulas, avaliações.
- Sugestão de materiais didáticos.
- Se a escola autorizar, participação em reuniões e conselhos de classe.


Particularidades do estágio  

 
A legislação referente ao estágio em licenciatura prevê um total de 1 mil horas, distribuídas da seguinte maneira: 400 horas na escola, 400 de prática docente e 200 horas de atividades didáticas e culturais.TOPO

4. MERCADO

Profissionais no mercado

    
Cerca de 7 mil licenciados em Filosofia atuam na Educação Básica.

Exigências para atuar na profissão 

   
- Ter curso superior de licenciatura em Filosofia para atuação na Educação Básica.
- Para ingressar no Ensino Superior, ter mestrado no sistema privado e de doutorado no sistema público.

Regulamentação 

   
Não há

Ganho inicial (média mensal)  

 
- Na rede pública, de R$ 1 mil a R$ 2 mil, dependendo da carga horária.
- No Ensino Médio em escolas privadas, cerca de R$ 4 mil.
- Como professor doutor de uma universidade pública, R$ 5 mil.

Ganho escalão intermediário (média mensal)  

 
De R$ 6 mil a R$ 7 mil no Ensino Superior.

Ganho no auge (média mensal)  

 
R$ 8 mil no Ensino Superior.

Atividades do início de carreira  

   
- Prepara e dá aulas na Educação Básica e no Ensino Superior.

Evolução da profissão


Se for professor na Educação Básica na rede pública, segue a progressão prevista na legislação do estado onde atua. No Ensino Superior, segue a progressão da carreira prevista na instituição em que atua.
- Algumas empresas contratam filósofos como consultores para dar parecer sobre seu modo de funcionamento.
- O filósofo também é requisitado para ministrar cursos e formações em outras áreas, especialmente teatro e artes plásticas. O profissional experiente e renomado também escreve livros e atua em revistas especializadas.


Auge da carreira    


Cerca de dez anos na Educação Básica. No Ensino Superior, pode levar de 15 a 20 anos.

Dicas     


- Para ser professor de Filosofia na Educação Básica, é preciso ter habilidade para construir uma aula interessante e ser capaz de manter a atenção dos alunos.
- Já o bacharel precisa gostar de ler e de pensar, além de ser ousado na construção de novas ideias e formas de pensar e ver a realidade. 
TOPO
Fontes: Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep)/Ministério da Educação (MEC), dados de 2010; Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade), dados de 2008;

Ministério da Educação (MEC)

Especialistas entrevistados para compor o perfil da profissão:

Filipe Ceppas, filósofo e professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
Os profissionais dessa área de pesquisa serão cada vez mais fundamentais já que situações como o aquecimento global trazem à luz questões nunca antes pensadas como: em que consiste exatamente a trajetória do humano na terra, seu papel na preservação da vida futura e demais assuntos de tanta urgência?
Dica 1 – Entrou no seu radar fazer o curso de graduação em Filosofia? Veja também outras carreiras antes de se decidir. Sociologia, Psicologia, Antropologia, e tambem Medicina,Direito e Engenharias. Veja aqui como é cada um destes cursos e a vida profissional depois da faculdade: https://blogdoenem.com.br/guia-de-cursos-e-profissoes/

Quem é o filósofo?

FilosofiaAo se formar no curso de graduação em Filosofia espera-se do profissional as seguintes habilidades: Capacidade para argumentação e um discurso articulado de maneira clara. Também sua escrita deve ser límpida a fim de simplificar e transmitir com clareza conceitos que por vezes sejam demasiado complexos;
O filósofo deve compreender questões que abordam a existência humana bem como as suas relações com os demais discursos da ciência exata e humana;
Quem estuda a fundo esta área torna-se capaz de harmonizar o exercício da filosofia, ou seja, da reflexão com o compromisso de uma cidadania experimentada pelas pessoas de maneira progressiva em busca de um ambiente que promova a liberdade;    E, num aspecto mais técnico e acadêmico, espera-se do profissional de filosofia ser capaz de organizar pesquisas e projetos em sua área de conhecimento, e de ministrar aulas desde a Educação Básica e até à Pós-graduação.
Dica 2 – Veja as notas de corte no Sisu para o curso de graduação em Filosofia, e outras carreiras também. Tudo aqui: https://blogdoenem.com.br/notas-corte-universidades/

O curso de graduação em Filosofia

O curso de graduação em filosofia dura em geral quatro anos e aborda diversas disciplinas importantes para a formação do filósofo como: história da filosofia e do pensamento ocidental, e estudos de lógica e de história.
Dependendo da universidade onde se realize o curso há também um importante enfoque na história da arte já que a arte anda colada com o desenvolvimento do pensamento humano. Vale a pena você pensar em Filosofia para o vestibular, o Sisu, ou no Prouni.
Este vídeo de apenas um minuto e meio, produzido pelo canal de TV da Universidade Federal de Goiás, mostra para você um pouco mais sobre em que consiste a estimulante graduação em Filosofia. Veja.
Dica 3 – Quer mandar bem no Enem e no Vestibular? Estude com as apostilas gratuitas que o Blog do Enem selecionou para você. Dicas de todas as matérias. https://blogdoenem.com.br/apostilas-gratis/

5 cursos de graduação em Filosofia com conceito 5 no Enade

O conceito do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) leva em conta uma série de critérios, como: o desempenho dos estudantes do curso em uma prova realizada anualmente, o corpo docente, a infraestrutura, os recursos didático-pedagógicos, além dos programas de pós-graduação.
Todos são sintetizados em um único indicador, que varia de 1 a 5. Os cursos com nota acima de 3 são considerados satisfatórios pelo Ministério da Educação.
  • Universidade Presbiteriana Mackenzie – MAKENZIE
  • Pontifícia Universidade Católica de São Paulo – PUCSP
  • Universidade Federal Fluminense – UFF
  • Universidade Federal do Espírito Santo – UFES
  • Universidade Federal de Goiás – UFG

Mercado de Trabalho para Filosofia  

Por ser bastante abrangente, o filósofo tem uma gama muito ampla de ambientes em que pode atuar como profissional. Obviamente, o cargo mais comum que o filósofo ocupa é o de professor.
Vagas nas escolas públicas e particulares de ensino médio são abertas regulamente através de concursos ou processos seletivos. Também nas universidades eles podem atuar, com o adicional de poderem desenvolver pesquisas diversas na sua área de conhecimento.
A média de salário inicial para o profissional de filosofia na Educação Básica gira em torno de R$ 1.500,00 a até R$ 2.400,00, a depender de onde se consegue o emprego.
Filósofos também podem atuar em empresas como consultores, bem como consultores de governos e instrutores específicos. Os profissionais da área podem até mesmo atuar na área de publicidade colocando em prática um conhecimento mais aplicado da percepção humana.

Perfil do profissional após a formação

O profissional egresso do curso de graduação em Filosofia sabe dispor de teorias diversas e por vezes contrárias a respeito do conhecimento humano, estética, ética e moral. Ele sabe transmitir o que aprendeu a fim de que outros também possam possuir amplo aglomerado de conhecimentos para a interpretação da vida. O valor fundamental de um filósofo formado é o de nutrir o respeito pela reflexão e procurar incutir esse respeito na sociedade em que está inserido.
Post escrito por Victor Barreto. Ele é formado em jornalismo,  e reside em São Paulo. Já atuou como professor de inglês em diversas escolas, como Cultura Inglesa, Yázigi e United Institute, além de haver trabalhado como assistente editorial. Atualmente, realiza traduções, dá aulas particulares de inglês e atua como redator online. Twitter: @victor_toscano